Conhecida popularmente como Síndrome do Ombro Congelado, essa é uma patologia caracterizada pela inflamação na cápsula articular do ombro, desencadeando no paciente quadros de dor e limitação nos movimentos.

A doença é dividida em:

– Fase aguda: sendo caracterizada pelo aparecimento gradual de dor difusa no ombro, podendo durar até seis meses;

– Fase de congelamento: há a perda progressiva do movimento do ombro, com possível duração de mais de doze meses;

– Fase de descongelamento: tem sua duração variável, e é caracterizada pelo alívio dos sintomas, quando a dor vai diminuindo e o paciente vai reconquistando os movimentos.

A confirmação do caso é feita com base na história do paciente e de exames clínicos. Os estudos de imagem, como radiografias e ressonâncias magnéticas, não necessariamente identificam a Capsulite Adesiva, mas auxiliam no momento de descartar outras causas de um ombro doloroso e rígido.

O tratamento visa, primariamente, reabilitar o paciente através da fisioterapia. Sendo seguido de infiltrações guiadas por ultrassom. Porém, é necessário consultar um especialista para saber qual tipo de intervenção o seu caso necessitará.