Esta é uma patologia rara, que se caracteriza pelo crescimento de células alteradas geneticamente, anormais nos ossos, sendo o mais comum no fêmur, que corresponde a cerca de 1% dos casos de tumores que são diagnosticados.

Entre os mais encontrados na população estão o osteossarcoma e o Tumor de Ewing, considerados graves de uma heterogeneidade muito grande, acometendo em sua maioria pessoas de 10 a 20 anos.

Inchaço e sensibilidade perto da área afetada, dores na região, febre e perda de peso sem intenção estão entre os sintomas do problema, que devem acender o alerta sobre a importância de procurar um médico para saber se está tudo certo com a saúde.

Caso exista a suspeita da doença o diagnóstico deve ser realizado com base em todo histórico clínico do paciente, exames de imagem e biópsia da lesão. Já o tratamento, é feito de forma multidisciplinar com quimioterapia, cirurgia e novamente a quimioterapia pós-operatória para que seja possível combatê-los.

Atualmente, os resultados têm sido satisfatórios com o avanço tanto nos procedimentos de quimioterapia, quanto nas técnicas cirúrgicas.